Carreras son carreras

Podem criar a regra que for na Fórmula 1. No fim, o que determina se as corridas serão boas ou não são as pistas, os pilotos e as condições do tempo. Aí está o GP do Canadá que não me deixa mentir: um circuito sensacional, que não perdoa erros, frequentado por caras que estão MUITO acima da média de grids passados, e ainda contando com uma chuva federal para bagunçar tudo.

Não é à toa que, em provas assim, o talento puro se sobressai à velocidade bruta. Jenson Button, um cara capaz de conduzir um tanque com pneus carecas de Uno durante uma tempestade, superou punições, toques, pneus furados, seis pit-stops – e, provavelmente, ainda fez algum TRUQUE DE CARTAS (ns) – nas quatro horas de prova para vencer em Montréal. Depois, ainda ganhou um beijo da JESSICA MICHIBATA. O rapaz é foda.

Mas do Button todos vão falar, já que uma vitória conquistada na última volta – e ainda mais na corrida mais longa da história – é algo que fica para a história. O que pode se perder no futuro é o que fez Michael Schumacher: os sete títulos que contemplam o mundo do alto dos 41 anos do alemão foram colocados à prova hoje, com uma atuação espetacular. Fazia tempo que eu não via alguém com tanto TESÃO em um GP, e estava sinceramente torcendo por uma vitória do TEDESCO.

Isso que ainda teve Kobayashi mitando na chuva, Petrov, Di Resta, Alguersuari voando, Massa em alguns momentos inspirados e outros nem tanto… uma prova sensacional, que fica ao lado de GPs como Alemanha/2000, Inglaterra/2002, Europa/2007 e Brasil/2008 como das melhores corridas dos últimos anos.

O que o Canadá também mostrou é que o regulamento novo – que eu até havia ELOGIADO, mind you – pode ser uma bela merda. Ou, pelo menos, é algo completamente artificial e desnecessário. O GP foi perfeito e disputado sem a necessidade de asas móveis e com pneus que se comportaram com algum tipo de DECÊNCIA, e foi só voltarem a liberar o famigerado DRAG REDUCTION SYSTEM para virar uma putaria de ultrapassagens sem graça alguma. Se não houvesse o DRS, Schumi, Webber e Button brigariam apenas no braço até o fim. O resultado final poderia até ser o mesmo, mas PARA MIM seria algo muito mais AFUDÊ de se ver.

O que vale, mesmo, é ter pistas boas, pilotos bons e um clima insano.

Ou, em resumo: talvez aquela ideia do Bernie de um BOTÃO DE CHUVA não fosse algo tão absurdo assim.

Abraços,
Chico Luz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s